Todos nós temos sentimentos e emoções!

Muitas vezes nos sentimos frágeis e angustiados ao lidar com tudo isso, porque não somos ensinados a reconhecer e saber sobre cada uma destas emoções.

Você quer um momento só seu? Onde você aprenderá mais sobre si, poderá se sentir acolhida e será capaz de sair mais fortalecida?

Venha participar do projeto “Florescer”!  E deixar florescer em você o que tem de melhor.

Como funciona o projeto

São realizadas reuniões semanais (em alguns casos quinzenais) com grupos de até 20 mulheres. Essas reuniões acontecem na cidade de Suzano.

Esses encontros são bem dinâmicos, ou seja, todas com interações entre o grupo, conduzidas por mim no qual utilizo técnicas  de vivência de grupo, musicoterapia, arte terapia, jogos, dinâmicas de grupo e discussões de temas relevantes a mulher.

O objetivo destes encontros é ajudar mulheres que se sintam fragilizadas por qualquer motivo ou situações a se fortalecer, para enfrentar os desafios que todas temos em nossa vida!

Como fazer parte do grupo de apoio?

Se você deseja fazer parte desses encontros ou gostaria de saber como é e os locais em que acontecem, preencha o formulário abaixo:

Informações importantes

Apesar de ser um problema mundial, a violência doméstica atinge 2 milhões de mulheres no Brasil a cada ano. Os dados são da pesquisa Instituto Avon / Ipsos – Percepções sobre a violência doméstica contra a mulher, que também revela: apenas 63% delas denunciam a agressão.

Tipos de violência cometida contra mulheres

A violência doméstica tem sérias consequências para a saúde física e mental. Mulheres que sofrem abuso tornam-se mais aptas a sofrerem de depressão, ansiedade, sintomas psicossomáticos, problemas de alimentação e traumas sexuais. E, na maioria das vezes, o agressor é o homem com o qual elas mantêm – ou mantiveram – um “relacionamento amoroso”.

Violência sexual: é cometida por meio de atos ou tentativas de relação sexual sob coação ou força física.

Violência física: ocorre quando o parceiro agride a mulher por meio do uso da força física ou de algum tipo de arma que pode provocar ou não lesões. Essa violência pode se manifestar de várias formas, como: tapas, empurrões, socos, mordidas, chutes, queimaduras, cortes, estrangulamento ou lesões por armas ou objetos.

Violência psicológica: é tão prejudicial quanto a física e se caracteriza por toda ação ou omissão que causa dano à autoestima, à identidade ou ao desenvolvimento da pessoa. Inclui insultos constantes (xingamentos), humilhação, desvalorização, chantagem, isolamento, privação da liberdade (impedir, por exemplo, a mulher de trabalhar, estudar, cuidar da aparência, gerenciar o próprio dinheiro, sair com as amigas, etc.).