Blog

7 fev
2018

Da série nossas emoções: Ai que raiva !!! Já se sentiu assim? Vem saber por que e como lidar com esta emoção.

“Todo mundo pode ficar bravo, isso é fácil. Mas ficar bravo com a pessoa certa, no nível certo, no momento certo, pelo motivo certo e do jeito certo, isso não está dentro do poder de todos e não é fácil. ”    Aristóteles

A raiva é uma emoção de autodefesa, poderosa e difícil de conter, porém possível de ser modulada e assertiva, como nos mostra a neurociência.

O pesquisador R. Douglas Fields, em seu livro, Why We Snap: Understanding the Rage Circuit in Your Brain (“Por que explodimos: entendendo os circuitos da raiva em seu cérebro”, em tradução livre).  Agrupou em nove seções as causas que nos levam a “explodir” ou sentir raiva: integridade física, insulto, família, ambiente, sexo, ordem social, dinheiro, tribo e impedimento, esta última tem relação com tudo que nos tolhe, física ou psicologicamente.

Ao sentir ameaça a qualquer um destes setores, nosso cérebro prepara-se para briga, é como se algo essencial para nossas vidas estivesse em risco. Há ainda a raiva silenciosa, premeditada, lúcida e controlada. Ambas podem gerar os resíduos desta emoção que são a mágoa, angústia e culpa.

É preciso entender que senti-la não é consciente, são as amígdalas entrando em ação (sim, temos amígdalas no cérebro, não são as da garganta), responsáveis por detectar uma ameaça e nos preparar para defesa. Mas há salvação! A resposta da amígdala à uma ameaça é regulada pelo córtex pré-frontal, região de funções mais complexas. É ele quem escolhe se vamos argumentar, xingar ou bater e também nos diferencia dos animais.

Você pode estar pensando…Oba! Então estou livre para extravasar minha raiva!

Hummm… ERRADO nobre colega! Volte e leia novamente sobre o córtex, você está equipado com mecanismos para modular esta emoção. Sentir é diferente de extravasar, o segundo caso não se aplica a raiva pelo simples fato de que você sairá socando pessoas, destruindo coisas e provavelmente se machucando, gritando e verbalizando palavras que poderão ser fonte de arrependimento e culpa. A forma silenciosa e manipuladora, elaborando planos de vingança, ruminando no interior, também não é o caminho, pois pode levar a doenças como úlcera gástrica, hipertensão, disfunções cardíacas entre outras.

O que você faz então?! Como lidar com esta emoção de forma assertiva?!

  1. Como toda emoção a raiva é fisiológica, faz parte da mente e do corpo, portanto, você sempre irá sentir raiva. Não negue o sentimento, aprenda a reconhece-la e entender o motivo.
  2. Senti-la demanda autoanalise e uma pergunta básica: Por que estou me sentindo ameaçado? Esta ameaça é física ou emocional? E principalmente saber detectar se é real, pois no mundo repleto de estímulos que vivemos, acelerado, podemos sim, estar percebendo ameaças falsas.
  3. Contar até 10 – Rá! Achou que era crendice popular?! Quando você conta até 10 seu foco de atenção é desviado, outras áreas do cérebro entram em ação, diminuindo a função da amígdala e colocando o córtex para regular a emoção. Você poderá ponderar na melhor solução.
  4. O que disparou sua raiva foi a raiva do outro? Sair e se acalmar, pensar sobre a situação e voltar depois para conversar é assertivo e resolve muitos problemas.
  5. Silenciar, sem julgar. Você já reparou que quando outra pessoa tem um acesso de raiva e você permanece quieto sem discutir, isso parece a princípio irrita-la mais?! Porém, depois de um tempo os ânimos baixam e é possível conversar. Isto acontece porque no primeiro instante ela sente-se ameaçada, mas à medida que este estímulo não é alimentado, a razão pode entrar em ação modulando a emoção.
  6. Teve um dia estressante?! Tá sentindo o pavio curto?! Exercício físico, ouvir música, assistir uma comédia, praticar atividades que te dão prazer, elevam os níveis de serotonina devolvem o bem-estar.
  7. A raiva também é uma emoção de ação e que muitas vezes ajuda a tirar da zona de conforto. Identifique por que você se sente ameaçado, canalize a emoção para ação e tome uma atitude assertiva. Exemplo: Sabe quando duvidam da sua capacidade e vem a raiva, indignação?! Mas uma energia te move e você se dedica ainda mais, enfrenta a situação e alcança o resultado. Pois é….este e muitos outros exemplos é canalizar a raiva de forma assertiva.

Ainda tem dúvida, ou quer saber mais sobre esta emoção? Deixa nos comentários ou entre em contato.

Escreve também se os textos estão sendo úteis para você, vou adorar saber!

Deixe o seu comentário:

a autora

Mari Telma

psicóloga & coach

leia mais sobre mim +